Descarte correto de pilhas e baterias

Uma só faz um estrago danado: pode contaminar o solo por até 50 anos. Imagine  800 milhões de pilhas e 10 milhões de baterias de celular descartadas por ano no Brasil!  Se forem parar no lixo comum, vão emporcalhar ainda mais terra, água e ar. Elas contêm metais pesados, altamente tóxicos. Prefira pilhas e baterias recarregáveis, pois elas duram mais e usando em menor quantidade, você produz menos lixo. Mas atenção: elas também possuem mercúrio, cádmio e chumbo, que são muito perigosos, e devem ser devolvidas ao fabricante quando forem inutilizadas.

A Política Nacional de Resíduos Sólidos oferece incentivos a empresas, governos e consumidores, com o que chama de logística reversa. A proposta é fazer com que todos, inclusive cooperativas e catadores, estejam comprometidos a ajudar os fabricantes, que têm obrigação de recolher o material produzido por ele. Além disso, o Conselho Nacional do Meio Ambiente conta com uma lei que exige que todas as informações e danos sobre o descarte incorreto estejam dispostos na embalagem. Muito cuidado com aquelas pilhas “piratas” que a gente encontra por aí. Elas têm muito mais material tóxico do que as regularizadas.

Como a responsabilidade é do fabricante, o nosso papel é simples: encontrar um posto de coleta e levar as pilhas e baterias até lá! Eles vão saber o melhor destino para o material com menor impacto ambiental possível.

Veja aqui uma lista de empresas que possuem postos de coleta de pilhas e baterias, encontre o mais perto de você e faça a sua parte. O meio ambiente agradece!

O mapa da Phillips te mostra os postos de coleta espalhados por todo o Brasil. Clique aqui e consulte.

O Programa Papa-Pilhas do Banco Santander também está por todo o país. Clique aqui.

Comentários