Comitê de gestão de crise se reúne em Imbituba

Foto: Israel Costa/ASCOM PMI

Representantes da Prefeitura, da Polícia Militar, do Corpo de Bombeiros e do Exército, estiveram reunidos com os representantes do movimento dos caminhoneiros.

O comitê de gestão de crise, montado em virtude da greve dos caminhoneiros, e que envolve os representantes da Prefeitura de Imbituba, da Polícia Militar, do Corpo de Bombeiros e do Exército, esteve reunido na tarde desta segunda-feira com os representantes do movimento grevista. A reunião, que durou cerca de uma hora e meia, definiu as prioridades para o município ao longo da semana.

Hoje, a falta de combustíveis atinge, diretamente, os serviços públicos e os órgão de defesa. As aulas da rede municipal de ensino foram paralisadas nesta segunda-feira porque muitos professores e alunos não conseguiriam chegar até as escolas. 

O transporte coletivo também está trabalhando em horário reduzido para poupar o diesel. Além disso, o estoque de mantimentos da Casa Lar, entidade que atende crianças e adolescentes retirados de casa por suspensão ou destituição do poder familiar, também merece atenção.

“Nós estamos buscando manter os serviços essenciais mínimos para que a nossa comunidade local não sofra mais do que já está sofrendo e não entre em colapso. Nesse sentido, nós reunimos todos os seguimentos e buscamos ouvir de cada um as suas demandas, para que se possa, a partir de agora, tomar mais algumas providências”, disse o comandante da Polícia Militar de Imbituba, Gean Brida.

Em virtude da escassez de combustível, o Corpo de Bombeiros foi obrigado a adequar os serviço externos. 

“A gente fez uma diminuição dos deslocamentos administrativos e vistoriais, justamente para economizar os combustíveis. A solicitação que nós fizemos aos nossos profissionais, é que seja feito o acompanhamento dos gastos com gasolina e diesel, para que a gente consiga se programar e, ao mesmo tempo, evitar que falte combustíveis nos próximos dias”, alertou o comandante do Corpo de Bombeiros de Imbituba, Guilherme Costa.

Foto: Israel Costa/ASCOM PMI
 
Durante o encontro, ficou acordo com os representantes dos caminhoneiros que o abastecimento dos veículos da prefeitura, que atendem os serviços de saúde, assistência social e obras, e dos órgãos da segurança pública, como Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e Defesa Civil, seja mantido.

“A gente está trabalhando em parceria com a prefeitura, com os órgãos públicos, para não deixar faltar o necessário para a população ou, pelo menos, o essencial. E vamos tentar fazer o possível para não deixar a prefeitura e a população na mão. O movimento continua forte, nós vamos com fé e coragem até o fim.”, destacou Luciano Geremias, representante dos caminhoneiros.

Foto: Israel Costa/ASCOM PMI
 
Para o prefeito de Imbituba, Rosenvaldo da Silva Júnior, com a reunião, foi dado um passo importante para que o caos não se instale no município. “Além dos serviços de saúde e assistência social, nós garantimos que o nosso transporte público seja mantido. A gente vai conseguir combustível para que a empresa que presta o serviço para a prefeitura continue atendendo. Não nos horários normais, mas com base em uma tabela, pelo menos até o fim desta semana”, enfatizou o chefe do executivo.

Para abastecer a Casa Lar, o grupo de caminhoneiros garantiu que vai ceder parte dos mantimentos que recebeu da comunidade durante a semana. Medida importante que o grupo também estendeu ao Hospital São Camilo, com a doação de caixas leite.

Comentários