Um contador de histórias: Escritor de Imbituba se dedica à produção de livros há mais de 4 décadas


São 45 anos dedicados a criação de histórias e a produção de livros. Boa parte desse tempo, Dario Cabral da Silva Neto, de 60 anos, escreveu poesias. Hoje, o aposentado se dedica ao desenvolvimento de romances. Dos 20 títulos já escritos, oito foram publicados.

Entre 1973 e 2000, Dario era, exclusivamente, poeta. Mas depois de uma conversa com um amigo de trabalho, o escritor mudou o foco. “Esse meu amigo, um dia me disse: Dario, ao invés de escrever uma poesia que ficará na cabeceira da cama e será lida só na próxima lágrima, porque você não escreve algo mais longo”, lembrou o escritor.

Foi então que o poeta decidiu se transformar em romancista. No ano 2000, o membro da Academia de Letras de Imbituba (ALI) passou a escrever os romances. Entre as obras, que são vendidas por R$ 30, estão, Catador de Sonhos, Uma Questão de Amor, A Ravina, Pétalas de Amor, O Segredo de Melissa e a Caminhada do Zé Mundão.

A venda dos exemplares é feita da maneira antiga, de porta em porta. E é contando com o apoio dos amigos de pessoas próximas, que Dario segue sonhando e produzindo novas histórias. “A principal dificuldade que eu encontro é vender os livros. No começo, eu vendia 10 por dia. Hoje, se eu vender 10 livros por mês, eu já fico satisfeito”, lembrou o escritor, que também é membro da Academia de Letras do Brasil (ABL), Subseção Santa Catarina.

Os livros desenvolvidos por Dario não tem um foco religioso, mas trazem uma mensagem espiritualizada. “O ato de escrever não é só bom para criar, mas também para ajudar ao próximo. Quando você escreve, você desenvolve a mente. Desenvolvimento que também acontece com quem lê um livro”, reiterou o escritor de Imbituba.

ASCOM/PMI

Comentários