Até 2020, boa parte da dívida com precatórios deverá ser paga para atual administração

 
As ações trabalhistas estão no topo da lista das dívidas que o município de Imbituba precisa quitar até 2021. Os precatórios, como são chamados, acumulados há décadas, impedem que o Poder Executivo consiga realizar os investimentos necessários para o desenvolvimento da cidade.
 
Os precatórios são requisições expedidas pelo Poder Judiciário para a cobrança junto aos municípios, estados ou União, assim como de autarquias e fundações. São valores devidos após a condenação judicial definitiva.
 
Em Imbituba, os valores superam a marca dos R$ 10 milhões. Uma quantia muito alta para uma cidade de, aproximadamente, 44 mil habitantes. Mas, mesmo com esse obstáculo deixado pelas administrações anteriores, o prefeito Rosenvaldo da Silva Júnior pretende quitar boa parte dessa dívida até dezembro de 2020.
 
“Essa é uma herança que vem de outras administrações. A maioria é relacionada às ações trabalhistas. É uma herança que sobrou pra gente pagar nessa gestão. Tudo que vinha sendo retido terá que ser zerado até 2021. 

O município já constou no orçamento do ano passado o pagamento de, aproximadamente, R$3 milhões desses precatórios. Para esse e os próximos anos, também já estão previstos valores semelhantes. 

Estamos nos organizando de maneira a deixar tudo isso resolvido até o fim do mandato. É uma verba que poderia ser investida em outros setores, mas é algo que é importante ser pago para manter a prefeitura viável, com todas as negativas em dia. São dívidas que existem e que tem que ser pagas. 

Esperamos pagar tudo o que está retido até o fim do mandato”, reiterou o Prefeito de Imbituba, Rosenvaldo da Silva Júnior.

Comentários