Agentes de endemias mantêm o controle do Aedes aegypti em Imbituba


Depois de um  2018 complicado, com o registro de 15 focos do Aedes aegypti em Imbituba, o ano de 2019 começou menos conturbado. Mas, nem por isso, o estado de atenção foi deixado de lado. Os Agentes de Endemias seguem de olhos abertos nas 173 armadilhas espalhadas pela cidade.

“Iremos aumentar para mais de 200 armadilhas, para cobrirmos toda a área povoada do município. Temos 35 pontos estratégicos cadastrados em Imbituba, justamente, em locais onde o acúmulo de material pode se transformar em criadouro para o vetor”, disse o Diretor de Eduardo Cardoso Carvalho, Coordenador do Programa de Combate à Dengue.

Os agentes têm percorrido ferros-velhos, borracharias, empresas de reciclagem, depósitos de veículos, cemitérios e floriculturas. A intenção é eliminar qualquer possiblidade do surgimento de novos focos em Imbituba.

“Estamos trabalhando em várias denúncias. Vamos focar nas caixas d’água. Eu tenho visto muitas caixas sem tampa. Estamos em vigilância, coletando amostras por todo o munícipio”, reiterou Eduardo Carvalho.

Algumas larvas foram recolhidas, mas, segundo os técnicos, são de outras espécies. Houve um caso suspeito de Chikungunya em Imbituba, que foi descartado após a análise.

Comentários